(11) .
    • 22 DEZ 14
    • 0
    Adoção de cães e gatos: o verdadeiro clima de Natal (Matéria na Coluna da Dra. Fernanda do Hospital Veterinário Sena Madureira na Revista Época).Um cachorro e um gato adotados em Denver, Estados Unidos (Foto: John Moore/Getty Images)

    Infelizmente, nesta época do ano, as adoções de cães e gatos diminuem muito e, para piorar, o índice de abandono cresce bastante.


    Com a proximidade do Natal, as cidades se transformam freneticamente. Luzes brancas ou coloridas enfeitam as casas e as ruas por onde pessoas apressadas vão e vêm com o propósito de resolver tudo antes da tão esperada noite da véspera de Natal. A compra de presentes e os preparativos para a ceia consomem tanto tempo das pessoas que poucas param para refletir sobre o verdadeiro significado dessa data.

    O amor, a tolerância, a paz, a união, a reflexão e a solidariedade deveriam estar no topo das prioridades. Agradecer pelas conquistas e aprendizados ao longo do ano e retribuir da melhor maneira deveria ser o foco desta comemoração. E nesse cenário, aqueles que precisam da ajuda das pessoas perdem colaboradores importantes.

    Infelizmente, nesta época do ano, os auxílios de voluntários e as doações para as entidades, fundações e organizações que cuidam de animais sem lar diminuem, o que prejudica muito a assistência e os cuidados com estes bichinhos que tanto precisam de nossa ajuda, carinho e atenção. As adoções de cães e gatos também diminuem e, pra piorar, o índice de abandono cresce bastante.

    Ainda dá tempo de contribuir para um final de ano melhor para esses pets, que já passaram por tantas dificuldades. Se você tem vontade e a certeza de que pode de ter um animal de estimação em casa, ADOTE! Se está na duvida, AJUDE com doações de alimento, remédios, produtos de limpeza ou doando um pouquinho do seu tempo para eles. Multiplique da melhor maneira que encontrar a informação e a conscientização de jovens, crianças e adultos sobre a responsabilidade que todos temos em proporcionar bem-estar aos animais, estejam eles em nossos lares ou não. Que eles são companheiros para uma vida toda e que devemos zelar por eles e por seus pares. Se cada um fizer sua parte, por menor que pareça, mudaremos em breve o cenário de maus-tratos e abandono, como já é possível presenciar em muitos países.

    Deixe um comentário →