(11) .
    • 24 MAR 14
    • 0
    Longe da leptospirose: os cuidados necessários com os cães nos períodos de chuvas. (Matéria na Coluna do Dr. Mário Marcondes do Hospital Veterinário Sena Madureira na Revista Saúde).Ela pode parecer inovenciva, mas a chuva pode fazet com que seu cão fique doente. Foto: Getty Images

    Com uma maior frequência de chuvas ao final do dia, aumentam as chances de enchentes em pontos das cidades. Com isto, muitos de nossos amigos peludos ficam expostos a doenças, como a leptospirose.


    Com uma maior frequência de chuvas ao final do dia, aumentam as chances de enchentes em pontos das cidades. Com isto, muitos de nossos amigos peludos ficam expostos a doenças, como a leptospirose.

    Ela pode parecer inovenciva, mas a chuva pode fazet com que seu cão fique doente.

    A leptospirose é uma doença causada por uma bactéria e transmitida através da urina do rato. No período de chuvas existe um aumento de sua incidência e transmissão tanto para o homem, quanto para os cães. Por isto, torna-se importante reconhecer os sinais desta doença que pode ser fatal e saber como preveni-la.

    Alguns sinais devem ser observados no cão como a coloração da mucosa, que fica amarelada, isto porque a doença pode atacar o fígado. Torna-se importante também observar a coloração da urina, que na doença apresenta um aspecto escuro semelhante à cor de “ coca-cola”. Como a leptospirose afeta também os rins, o cão pode apresentar uma insuficiência renal aguda, parando de urinar. Portanto, trata-se de uma enfermidade muito grave e que pode passar para o ser humano. Existe tratamento com chances de cura para a doença que deve ser tratada em ambiente hospitalar pelo risco do contagio aos familiares. No Hospital Veterinário o bicho é manipulado com luvas e receberá tratamento com soro e antibióticos.
    E como fazer para prevenir?

    Devido a gravidade da doença é de suma importância agir em sua prevenção. Para isto, os cães devem ser vacinados contra a leptospirose. A Vacina V8 apresenta dois sorotipos para imunizar contra a doença, já na vacina V10 são 4 sorotipos, ou seja, protege contra 4 cepas (tipos) de bactérias da leptospirose. Se o animal morar em região que exista risco de ratos como, por exemplo, em casas próximas a terrenos é importante fazer um reforço a cada 6 meses (existe uma vacina para este reforço somente contra leptospirose).

    Já um cão de apartamento pode tomar o reforço anualmente, mas nunca deixar de ser vacinado. Com a vacina V8 ou V10 o animal produzirá anticorpos anualmente para várias doenças, incluindo a leptospirose. Manter ambientes livres de roedores (ratos) também é fundamental. Evite manter a ração exposta no quintal o dia todo. Alimentos em exposição podem ser atrativos para os ratos. Forneça este alimento ao seu cão em horários específicos e retire-o após comer. Recolha o lixo do quintal acondicionando-o em local apropriado.

    Deixe um comentário →