(11) .
    • 23 DEZ 13
    • 0
    O que saber antes de escolher um cão como presente de Natal. (Matéria na Coluna da Dra. Fernanda do Hospital Veterinário Sena Madureira na Revista Época).

    No Natal, o clima de festa e confraternização invade o coração das famílias e muitos pais, decidem ceder aos pedidos calorosos dos filhos presenteando-os com um cãozinho.

    A convivência com um bichinho de estimação estimula a autonomia e a responsabilidade das crianças. Cuidar da higiene, da alimentação, dividir o seu espaço e oferecer um pouco de sua atenção também favorece o desenvolvimento do vínculo afetivo e o contato com os mais diversos sentimentos, de amor, carinho, frustração e alegria.

    Nesta convivência saudável a criança aprende e desenvolve suas relações afetivas para o futuro, influenciando sua forma de se relacionar com as pessoas com segurança, compreensão, aceitação, solidariedade, generosidade, zelo, afeto, carinho e respeito.

    Escolher a raça adequada para a criança e para a família não é tarefa fácil. Deve-se levar em conta o temperamento de todos os envolvidos, a disponibilidade, espaço físico, estilo de vida e também as possibilidades financeiras.

    Antes de levar um cãozinho para casa é importante se ater a cuidados essenciais para que o presente não se torne um problemão. Após definir a raça desejada, é importante buscar o máximo de informações sobre a história do animal, sobre o local de venda ou doação e os antecedentes familiares do cão (histórico de doenças genéticas ou infecciosas).


    Antes de levar um cãozinho para casa é importante se ater a cuidados essenciais para que o presente não se torne um problemão.


    Através do pedigree é possível saber o parentesco e seus antecedentes. Avaliar calmamente a ninhada e o comportamento de cada filhote. Evitar os muito medrosos e também os muito valentes. Estes extremos costumam ser mais difíceis de se educar. No caso do medroso, ele pode ter uma reação inesperada ao se sentir acuado, e, no caso do valentão que é o líder da ninhada, ele terá maior resistência e não aceitará seus comandos e ordens facilmente. Estes animais são contra-indicados para crianças pois elas não têm maturidade para lidar com sentimentos conflitantes, além de ser um risco à integridade da garotada. O meio termo neste caso é o ideal. Um animal que tem coragem para desbravar o mundo e sabe respeitar seus líderes (no caso a nova família).

    A vacinação e vermifugação devem ser seguidas à risca de acordo com a orientação do veterinário. O filhote deve receber de três a quatro doses de vacina múltipla (V8 ou V10) com intervalo de 21 a 30 dias, duas doses vacina contra gripe (Traqueobronquite infecciosa) com intervalo de 30 dias, duas doses de vacina contra um protozoário chamado Giárdia com intervalo de 21 dias e, após os quatro meses de idade, uma dose da vacina contra a raiva. Anualmente estas vacinas deverão ser repetidas (múltipla, gripe, Giárdia e Raiva),com uma dose de cada, por toda a vida do cão. A cada seis meses, ele deve receber medicação contra vermes e, todo mês, devemos protegê-los das pulgas e carrapatos. Assim teremos um cãozinho saudável e livre de doenças.

    A alimentação é fundamental para um bom desenvolvimento. Do desmame até os 11 a 15 meses de idade, devemos oferecer alimento especial para filhotes. Entre um e seis anos de idade, alimentação para adultos e, após os seis anos, alimentação para idosos. O estilo de vida do animal também interfere na escolha da alimentação adequada. A média de vida dos cães varia de acordo com a raça, o porte e o ambiente em que ele vive, mas podemos estimar entre 12 a 15 anos de vida. Portanto a dedicação deve ser intensa desde a chegada do filhote em casa ate o final de seus dias com conforto, carinho e atenção.


    Teste: qual raça de cachorro mais combina com você?

    Como sugestão de raças boas para presentear crianças podemos citar alguns exemplos:

    SRD ou o famoso Vira Lata: Não possui pedigree e é difícil saber sobre seus antecedentes, mas é extremamente amoroso e dedicado. Não se pode prever com exatidão seu tamanho em estatura mas seu coração é imenso. Muito fiel e dedicado, é uma excelente e recompensadora opção.

    Basset Hound: Cão dócil, paciente, de pelagem curta, que vive perfeitamente bem em apartamentos ou casas. Apesar da expressão melancólica é um cão alegre, brincalhão extremamente amável e que faz amizades com facilidade. Uma excelente companhia para crianças, idosos e pessoas com pouco tempo ou disposição para longos passeios. Não requer muitos gastos com a pelagem, necessitando apenas escovação diária, banhos semanais ou quinzenais (de acordo com a época do ano).

    Bernese Monuntain Dog: Uma das quatro variedades de cães montanheses suíços. Possui pelos longos, é extremamente resistente, muito afetuoso e fiel. Adora crianças e é um ótimo companheiro. Necessita de espaço e atenção. Requer maior cuidado com a pelagem por ser longa e com os banhos ( a pelagem longa e densa deve ser cuidadosamente seca após o banho para evitar resfriados e infecções de pele ). Seu custo mensal com alimentação é considerável devido ao grande porte.

    Boston Terrier: Cão de origem europeia, o Boston Terrier é hoje um admirável cão de companhia, paciente, inteligente e de bom gênio. Vive bem em apartamento e se adapta bem à rotina dos donos.

    Bulldog: Este cãozinho com aparência zangada, na verdade, é muito dócil e possui um excelente temperamento. É ótimo companheiro para as crianças. Tomar cuidado com a alimentação pois tem tendência a obesidade.

    São Bernardo: Um colosso da espécie canina, símbolo legendário de força e abnegação, desperta a admiração incondicional do homem, que aprecia suas extraordinárias qualidades estéticas, sua fidelidade e inteligência.

    Schnauzer: Deriva da palavra alemã, que significa “focinho”, referindo-se aos pêlos abundantes que a raça apresenta na região do focinho. É forte, vigilante, muito robusto, rude, dinâmico, fiel e inteligentíssimo.

    Whippet Este: Criado há uma centena de anos pelos mineiros do norte da Inglaterra e especialmente selecionados para a caça à lebre. Inteligente, afetuoso, muito obediente, é tão vivaz como dócil e tímido. Adora a companhia das crianças. Embora de aspecto delicado, é excepcionalmente robusto, resistente aos agentes atmosféricos e poucas vezes adoece.

    Lhasa Apso: No passado, propriedade exclusiva dos religiosos e dos nobres, o Lhasa Apso guardava os templos e mosteiros do tibet. Além de sua função de sentinela , acreditava-se que este cão trazia sorte. Era crença geral que após a morte, a alma do dono encarnava-se em seu cão. Por esta razão, o Lhasa Apso era considerado um animal sagrado. O nome deriva de lhasa, capital do Tibet. A palavra “apso” significa sentinela que late. Excelente para crianças, idosos e apartamentos.

    Pug: De origem chinesa, sua energia e simpatia são contagiantes. Adora correr e pular sobre as pessoas, transformando qualquer momento numa verdadeira festa.

    Fox Terrier: Cão de origem britânica, era muito utilizado para caça. Animal ativo, esperto, amável, acessível e muito corajoso. Possui pelagem densa, com textura de arame. Geralmente a cor branca predomina, com marcas de cor preta ou castanha.

    Yorkshire: Originário da Grã-Bretanha, o Yorkshire Terrier, ou yorkie (como o Yorkshire é carinhosamente chamado), vem de uma mistura de diferentes terriers, tradicionais na arte da caça em tocas. Possui um temperamento carinhoso e afável,o que o torna uma companhia excelente.

    Estes são apenas alguns exemplos de raças que fazem sucesso em famílias com crianças. Poderíamos citar muitas outras, mas reflita bem antes de concretizar este desejo de criança. Um animal de estimação não é brinquedo para ser trocado, devolvido ou abandonado. Ele fará parte da família e deverá ser cuidado, amado e respeitado por toda a vida.

    (Fernanda Fragata é veterinária formada pela Universidade de São Paulo, é diretora do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo. Escreve no site de ÉPOCA sobre saúde e comportamento animal às segundas-feiras)

    Deixe um comentário →