(11) .
    • 22 OUT 15
    • 0
    Os perigos da diarreia em cães (Matéria na Coluna da Dra. Fernanda do Hospital Veterinário Sena Madureira na Revista Época).(Foto: Thinkstock/Getty Images)

    Fique atento para saber a hora de procurar atendimento veterinário!


    Os cães têm o sistema gastrointestinal bastante sensível e podem sofrer com vômitos ou diarreia com frequência. As possíveis causas são diversas, mas é importante ficar atento para saber a hora certa de procurar atendimento veterinário. Desde uma simples mudança na dieta ou até uma doença mais grave ou infecção, no início, podem se manifestar de forma muito semelhante. A diarreia pode ser súbita e de curta duração, pode durar semanas, meses, ou pode ocorrer de vez em quando. Um único episódio de diarreia geralmente não é motivo de preocupação, mas dependendo do volume eliminado, se ocorrer mais de um episódio no dia, ou se persistir por mais de um dia pode levar à desidratação importante colocando a vida de seu pet em risco.

    O que pode provocar diarreia em cães?

    • Estresse
    • Mudanças na dieta
    • Intolerância alimentar
    • Infecção bacteriana ou viral
    • Ingestão de lixo ou comida estragada
    • Ingestão de substâncias ou plantas tóxicas
    • Alergia alimentar
    • Parasitas internos, como vermes e protozoários
    • Doença inflamatória intestinal
    • Doença renal ou hepática
    • Câncer ou outros tumores do trato digestivo
    • Intolerância a alguns medicamentos
    • Colite
    • Doenças imuno-mediadas
    • etc

    O aspecto das fezes pode variar de pastosa a líquida, com a presença de muco em alguns casos e até sangue enegrecido (proveniente do estômago ou das porções iniciais do intestino) ou sangue vivo (vermelho, proveniente das porções finais do intestino). Outros sinais incluem flatulência e esforço para defecar. Apatia, febre, dor, cansaço, desidratação, vômitos, perda de apetite, perda de peso e aumento da urgência para defecar também podem acompanhar a diarreia. Por isso, é fundamental a avaliação de um veterinário para a correta intervenção e início do tratamento o mais rápido possível.

    O tratamento dependerá da causa e da evolução do quadro, sendo de suma importância restabelecer a hidratação e monitorar o animal até a remição completa do quadro. Exames de sangue, de fezes e de imagem são importantes para se estabelecer o correto diagnóstico, definir e monitorar o tratamento e serão definidos pelo veterinário de acordo com o histórico do animal e as suspeitas diagnósticas.

    Algumas raças como o pastor alemão podem ter maior predisposição a doenças endócrinas que causam diarreia. Os filhotes são mais propensos a infecções virais, bacterianas ou infestações por parasitas intestinais. Os idosos têm mais chances de apresentar este sintoma secundário por problemas renais, hepáticos ou por maior sensibilidade a medicamentos. Nunca medique seu cão sem a avaliação prévia de um veterinário. Existem medicamentos inofensivos para nós que podem causar sérios problemas aos pets. Para evitar sustos e prevenir a maioria das causas de diarreia, mantenha as vacinas do seu cão atualizadas, realize exames de fezes periodicamente, no mínimo duas vezes ao ano para ter certeza de que ele está livre de vermes ou protozoários.

    Para prevenir diarreia e vomite, não deixe seu cão lamber, beber ou comer coisas na rua; não o deixe ter acesso ao lixo, remédios e alimentos impróprios para animais. E tente manter o estresse bem longe da sua casa. Isso fará muito bem a seu pet, sua família e você.

    Deixe um comentário →