(11) .
    • 27 SET 14
    • 0
    Saiba como evitar que o seu pet sofra com a chegada do bebê (Matéria na Coluna do Dr. Mário Marcondes do Hospital Veterinário Sena Madureira na Revista Saúde).Por mais que a empolgação com o novo membro da família seja grande, não se esqueça do seu pet. Foto: monkeybusinessimages/Thinkstocck/Getty Images

    Um novo membro da família pode ser um tormento para os animais. Aprenda a contornar a situação.


    A chegada de um novo membro da família é sempre repleta de alegria e preparativos. Todos acabam ajudando com dicas na decoração do quarto do bebê e na escolha de novos utensílios, como cadeirinhas, berços eletrônicos e outros mimos. No entanto, toda essa movimentação tão saudável pode ser um problemão para alguém que deve estar se sentindo esquecido em meio a tantas novidades: o seu pet.

    Tanto os cães como os gatos sentem essa mudança repentina de comportamento e ansiedade na casa, o que pode desencadear uma insegurança nos animais. A explicação é muito simples: para eles, toda a atenção que recebiam está ameaçada com a chegada do novo membro da família. Alguns bichos demonstram essa sensação com sintomas como diminuição do apetite, apatia e desânimo. Portanto, alguns cuidados importantíssimos para prevenção dessas alterações devem ser tomados para que o bebê chegue e não cause ciúmes no seu pet. Confira a seguir:

    · Pouco antes da chegada da criança e durante toda a semana inicial, procure dividir seu tempo e dos familiares para fornecer uma atenção extra aos bichinhos. Essa simples atitude pode ser um diferencial e tanto para que o animal passe a enxergar o bebê como um companheiro familiar e não iniciar uma disputa de atenção.

    · Planejar atividades junto ao seu amigo de quatro patas durante o primeiro mês estimula o vínculo entre vocês, diminuindo o estresse da mudança.

    · Passear mais vezes ao dia com o bicho pode ser essencial, primeiro porque ele vai adorar ter esse tempinho exclusivo com o seu dono, e segundo porque o exercício auxilia na liberação de endorfina, que atua combatendo os efeitos do estresse e da depressão.

    · Tirar alguns minutos para brincar com bolinhas e brinquedos especiais é fundamental. São medidas importantes para demonstrar ao pet que ele continua tendo seu espaço.

    · Aos poucos, vá apresentando o bebê ao animal, de longe, sem contato físico. Separe um paninho do pequeno para o gato ou cachorro cheirar e se acostumar com a chegada desse novo ser ao lar. Assim, quando a criança for maior e tiver contato com o bicho, ele já vai ter passado por um processo de adaptação.

    E lembre-se: esse momento mágico na vida de uma família tem tudo para ser o mais especial. Portanto, invista tempo e cuidados para que todos estejam inseridos nesse processo – e isso inclui, sim, o seu pet!

    Deixe um comentário →