(11) .
    • 27 ABR 15
    • 0
    Seu cão não é jogador de futebol, mas pode romper o ligamento do joelho (Matéria na Coluna da Dra. Fernanda do Hospital Veterinário Sena Madureira na Revista Época)Os pets também podem sofrer lesões ao brincar. Por isso, é importante ficar atento aos sinais de uma lesão (Foto: SXC.HU)

    Com bastante frequência o noticiário esportivo reporta afastamentos de atletas devido a lesões no ligamento do joelho. Recentemente tivemos o jogador Ramiro do Grêmio, o argentino Mouche do Palmeiras, e Alan Kardec do São Paulo. Problemas como este são os maiores responsáveis pelo afastamento de atletas dos treinamentos e competições. Nos Estados Unidos, leva mais de 250 mil esportistas aos hospitais por ano. E, infelizmente, este tipo de problema também pode acometer o seu cão.

    As causas mais comuns são, além do clássico trauma, o envelhecimento, e a predisposição de algumas raças. Inicialmente cães jovens de grande porte bastante ativos apresentavam uma maior incidência de lesões no ligamento do joelho, mas atualmente observamos um aumento dos casos em cães de raças pequenas e miniatura. Viver em ambiente com piso liso e escorregadio exige um grande esforço do animal se locomover sem desequilibrar ou cair e, com o tempo, as articulações não respondem bem a esta sobrecarga. Subir e descer da cama do dono, de sofás ou escadas, pular com apoio somente nas patas de trás são alguns exemplos de fatores predisponentes ao trauma e a ruptura do ligamento. Subitamente o animal sente uma forte dor e deixa de apoiar a pata no chão. A dor é tão grande que muitos deixam até de comer.

    Para o tratamento é necessário o uso de anti-inflamatórios e analgésicos potentes para dar conforto ao animal, além da necessidade de repouso. O diagnóstico é feito através da associação do histórico, raio X e exame físico detalhado. Em alguns casos o ultrassom, a tomografia ou a ressonância magnética podem ser exames necessários.

    A presença de um movimento anormal do joelho, chamado de “movimento de gaveta” é bastante clássico, mas às vezes fica prejudicado devido a dor e a contratura muscular. O tratamento definitivo é cirúrgico seguido de sessões de fisioterapia para readaptação. É fundamental a conscientização da família para a nova condição do cão e mudanças na rotina para evitar recidiva do quadro ou a ruptura do ligamento do outro joelho.

    As raças mais predispostas são: Golden Retriever, Poodle, Rottweiller, Pit Bull, Beagle, Bernese Mountain Dog, Husky Siberiano, Labrador, Chow Chow, mas não significa que não possa acontecer com outros cães. Por isso, fique atento ao ambiente e às brincadeiras do seu cão para que ele não precise se afastar de suas atividades recreativas e de seu convívio por uma temporada em decorrência de uma lesão.

    Deixe um comentário →