(11) .
    • 16 JUL 11
    • 0
    TV Globo entrevista clientes e diretor do Hospital Veterinario Sena Madureira sobre vacinação contra raiva.

    Campanha de vacinação ainda não tem data para ocorrer no estado. No ano passado, mais de 200 animais morreram depois de tomar a dose.


    Os donos de gatos e cachorros estão preferindo pagar a vacina contra raiva para deixar os bichos imunizados. Isso porque a campanha de vacinação contra a doença, que deveria começar em agosto, ainda está indefinida em todo o estado de São Paulo. As cidades estão esperando as doses que são distribuídas pelo Ministério da Saúde, mas a entrega está atrasada porque o Governo Federal trocou o laboratório fornecedor.

    No ano passado, mais de 200 animais morreram depois de tomar a dose. A estudante Camila Bibiano resolveu procurar uma clínica particular para vacinar seu cachorro neste ano por causa da demora. “Já comecei a vacinar ele em um hospital particular.”

    O operador de câmera Vitor Ferrari Lombardi também se adiantou e vacinou seu animal. “Já vacinei meu cachorro. Falta um só porque é muito bebê. Então, daqui a 10 dias falta a última vacina que ele tem que tomar.”

    Serão distribuídas para a rede pública de todo o país 10 milhões de doses importadas. É a mesma vacina aplicada nas clínicas e hospitais particulares. Em setembro, mais 35 milhões de doses vão ser compradas de um laboratório brasileiro. Até lá, o Ministério da Saúde garante que tem estoque para situações de emergência.

    “No momento, nós temos vacina. Mais de 1,5 milhão de doses em estoque. É o chamado ‘estoque estratégico’ do Ministério da Saúde, que serve para qualquer estado do Brasil. Ou seja, se for identificado em qualquer município do estado de São Paulo que há a possibilidade de circular o vírus da raiva canina, imediatamente, essa vacina é distribuída e é feita essa vacinação de bloqueio”, explica o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa.

    Com o atraso da campanha, quem tem gatos e cachorros deve ficar atento. “A vacinação é anual. O ideal é trazer antes. Mesmo porque, em época de férias, as pessoas que querem viajar com animalzinho não podem viajar sem estar com a vacina atualizada”, fala o veterinário Mario Marcondes.

    A raiva é uma doença que pode ser transmitida para o homem. O estado de São Paulo não registra casos de raiva em humanos há nove anos.

    Deixe um comentário →