Novo: 
ANIMAIS SILVESTRES
    • 22 JAN 17
    • 0
    O susto dos labradores Tom e Kate com as chuvas de verão (Matéria na Coluna da Dra. Fernanda do Hospital Veterinário Sena Madureira na Revista Época).Labradores adoram água. Poças em ruas e praças, porém, podem conter bactérias perigosas.

    Para os cães que gostam de brincar na água, as chuvas fortes aumentam o risco de contrair leptospirose.


    O verão é a estação mais quente e chuvosa do ano. Para se refrescar do calor, Tom e Kate, dois cães jovens da raça labrador, adoram brincar com água. Não podem ver uma poça que já vão se esfregando nela — e molhando quem está por perto. Uma festa! Mas Junior e Soraia, os tutores dos cães, não contavam com a possibilidade de aquela brincadeira divertida poder causar risco à saúde dos cães e da família.

    A tranquilidade da família foi abalada quando, subitamente, Tom ficou mais quieto e sem apetite. Isso chamou a atenção de Soraia, já que os cães dessa raça têm apetite voraz e Tom não era diferente. A preocupação aumentou quando Kate começou a vomitar, apresentar diarreia com sangue e urina escura. No pronto socorro veterinário, enquanto eram medicados, os resultados de exames laboratoriais apontavam o diagnóstico na direção da leptospirose. O tratamento foi rapidamente instituído para acabar com a infecção.

    >> Como cães e seus donos podem se exercitar com segurança no verão

    Nas cidades e no campo, mesmo sem vê-los, convivemos com milhões de ratos capazes de transmitir inúmeras doenças, entre elas a leptospirose, bastante comum nesta época do ano. Todos os animais podem ser contaminados, incluindo os humanos. Isso faz da Leptospirose uma zoonose (doença transmitida dos animais para os humanos). O contágio se dá por meio da urina e de secreções de ratos ou outros animais infectados, mas não necessariamente doentes. Os filhotes e aqueles com baixa imunidade são mais sensíveis e correm maior risco de morte. A gravidade da doença depende da bactéria presente e da eficiência do sistema imunológico do cão.

    Já os gatos dificilmente adoecem de leptospirose, por possuírem resistência natural à doença. Casos raros podem ocorrer em felinos portadores de doenças que diminuam a imunidade, como câncer, FIV (Aids felina) e FeLV (leucemia felina), entre outras.

    >> Cuidado no verão: mosquitos ameaçam cães e gatos também

    É importante ficar sempre atento e na presença de qualquer sintoma como febre, calafrios, falta de apetite, vômitos, desidratação, apatia, cansaço, alterações na cor da pele, urina ou sangramentos. Nos casos de infecção baixa, os sintomas podem demorar a aparecer ou se manifestar de maneira sutil. Isso aumenta o risco de transmissão da doença para outros animais e pessoas — o bicho infectado estará eliminando a bactéria leptospira na urina e nas secreções. Se não tratada a tempo, a leptospirose pode matar.

    A prevenção pela vacinação é a melhor tática. Pode ser feita com as vacinas polivalentes (V8 ou V10) anualmente e um reforço da vacina de leptospirose seis meses após a vacina polivalente. Cuidados em casa e nos passeios com os cães também são fundamentais. Não deixe a comida à disposição no comedouro, isso atrai outros animais que podem contaminá-la. Coloque a refeição e retire a sobra, limpe o local e a vasilha para não ter riscos. Mantenha o pacote da ração sempre bem fechado, em local alto em local seco e protegido.

    >> A decisão difícil de Dilma Rousseff no sacrifício do labrador Nego

    Se seu pet tem o costume de caçar ratos, é mais um fator de risco para o contágio. Por isso, você deve educá-lo que isso é errado. Em passeios pela rua ou parques, não deixe seu cão lamber ou comer coisas do chão, da grama, do mato ou lixo.

    Kate e Tom permaneceram internados sob cuidados intensivos no Hospital Veterinário por 10 dias com medicação injetável de suporte para combater a desidratação, os vômitos e a diarreia. Receberam um antibiótico eficaz contra a bactéria leptospira, causadora da doença. Assim que se normalizaram as funções dos rins e do fígado, além do hemograma que avalia anemia e infecções, os cães voltaram a ter apetite e puderam ir pra casa. Mas a partir de agora, brincadeira com água, somente em piscina com água tratada ou no banho. Nas poças, nunca mais.

    Deixe um comentário →
Primeiro Pet Hotel 6 estrelas ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️ em SP. Vai viajar? Reservas (11) 5572-8778.

pethotel3

"Novo Pet Hotel 6 estrelas do Hospital Veterinário Sena Madureira é destaque na TV Record. Confira!"

"E ainda tem mais..."

pethotel4pethotel2pethotel