Novo: 
ANIMAIS SILVESTRES
    • 31 DEZ 15
    • 0
    Saiba como diminuir o estresse dos cães durante a queima de fogos!

    Todo mundo conhece alguém que perdeu o bicho durante uma queima de fogos. Ou já viu um cãozinho desesperado, se enfiando embaixo da cama assim que os primeiros rojões são disparados.

    Irritados e assustados por causa do barulho, cães e gatos podem sair de casa em busca de lugares mais silenciosos e acabam se perdendo. Derrubar objetos e até mesmo pular de janelas estão na lista de acidentes envolvendo os bichos e os fogos.

    Os animais que não têm tanto medo podem ficar sozinhos em um cantinho especialmente preparado. “Prenda o cão em um cômodo da casa que ele goste, onde costuma se esconder. Deixe o paninho ou a caminha dele ali, e água fresca”, diz Mario Marcondes, diretor clínico do Hospital Veterinário Sena Madureira.

    Cuidado para não abafar o ambiente, ou o calor (combinado à agitação e medo) pode causar hipertermia. Deixar a veneziana aberta ou ligar o ar-condicionado são saídas para evitar o calor excessivo.  Abajures, vasos e vidros devem ser retirados do local onde o cachorro ou gato vai ficar preso. Na hora do desespero eles podem derrubar alguma coisa e se machucar.

    Atenção também aos cães que vivem no quintal, é mais seguro deixá-los em um cômodo dentro de casa durante o foguetório. “Além do barulho ser menor, ele fica protegido dos estilhaços de rojões. Atendemos muitos cães com a boca queimada por causa disso”, diz Marcondes.

    Outra dica é passear bastante com o bicho no dia 31, para ele estar cansado quando a meia-noite chegar. O exercício também libera hormônios que causam bem-estar, o que ajudará a diminuir o medo.

    Se o bichinho for muito sensível ao barulho, Marcondes indica levá-lo ao veterinário e pedir bolas de algodão parafinado (vendidas em farmácias de manipulação). Elas abafam o barulho e diminuem o estresse. Outra saída é comprar algodão em bolas e usar uma em cada orelha. Os protetores auriculares feitos para humanos não servem, pois são muito pequenos.

    O animais que convulsionam ou têm problemas cardíacos merecem mais atenção. Segundo o veterinário, durante o Réveillon, o número de casos de convulsão cresce 15% no hospital.

    Marcondes explica que há ansiolíticos e calmantes naturais que ajudam a evitar crises que devem ser dados em doses certas, e apenas veterinários podem indicá-los. Há também florais, mas esses exigem um tratamento de longo prazo, que não aplacaria o medo na véspera.

    Levar os cães para ver fogos na praia é uma péssima ideia. “É melhor deixá-lo sozinho com o ouvido protegido e num cômodo preparado. Ficar na casa dele, com os paninhos dele, já é suficiente”, diz Marcondes.

    AMARRAÇÃO CALMANTE

    Nos últimos dias surgiu nas redes sociais uma amarração que promete acalmar o bicho. A ideia é passar uma faixa de pano por trás do pescoço, cruzar no peito, passar pela pela barriga, amarrando nas costas (veja no vídeo abaixo). Marcondes tem dúvidas sobre o método. “O estresse vem do barulho. Nos EUA, usa-se muito um coletes calmantes, mas isso serve apenas para deixar os animais menos agitados no dia a dia, não serve para os fogos”, explica.

     

    Deixe um comentário →
Primeiro Pet Hotel 6 estrelas ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️ em SP. Vai viajar? Reservas (11) 5572-8778.

pethotel3

"Novo Pet Hotel 6 estrelas do Hospital Veterinário Sena Madureira é destaque na TV Record. Confira!"

"E ainda tem mais..."

pethotel4pethotel2pethotel